Após 40 dias em isolamento, gêmeos de três anos se reencontram e comemoram sucesso do transplante de medula óssea

O reencontro dos irmãos Samuel e Daniel Alves, de três anos, foi motivo de muita comemoração no Hospital Pequeno Príncipe. Depois de 40 dias em isolamento em função de um transplante de medula óssea para tratar uma doença rara, os gêmeos idênticos receberam alta: mataram a saudade e comemoraram o sucesso do procedimento.

Daniel e Samuel nasceram com uma doença genética rara, a síndrome Wiskott-Aldrich. O transplante de medula óssea é a única chance de cura. Na pequena cidade do interior de Brejo Santo, no Ceará, onde nasceram, não há tratamento para a enfermidade. Por isso, eles viajaram mais de 3 mil quilômetros até o Pequeno Príncipe, para tratar a doença. Já o doador da medula foi localizado em Minas Gerais, a mais de mil quilômetros de distância do Hospital.

O transplante dos gêmeos foi feito no mês de junho. Eles já receberam alta, mas seguem em acompanhamento periódico no Pequeno Príncipe. “Agradeço a Deus e peço que ele proteja esse doador e toda a sua família, pois com uma única doação ele salvou meus dois filhos”, agradece a mãe, Suzete da Silva Alves.


Veja no vídeo a história do reencontro de Daniel e Samuel.