Pequeno Príncipe se prepara para inaugurar Biobanco e Laboratório Genômico

No mês de novembro, o Complexo Pequeno Príncipe inaugura uma nova estrutura, que vai abrigar o Laboratório Genômico e o Biobanco. Com investimentos de mais de R$ 13,5 milhões, a unidade permitirá o desenvolvimento de novos métodos de diagnóstico e tratamento aos pacientes. Também contribuirá com o desenvolvimento de pesquisas científicas feitas pelas próprias equipes do Pequeno Príncipe e por pesquisadores de qualquer outro centro nacional ou internacional, já que estará ligado a uma rede mundial de biobancos.

Financiado com recursos captados junto ao governo federal, empresas, instituições parceiras e diferentes edições do evento Gala Pequeno Príncipe, o Laboratório Genômico e o Biobanco são exemplos do poder transformador da união da sociedade em torno de uma causa.  “Este é mais um passo importante para o que chamamos de medicina do futuro, que permitirá um tratamento muito mais preciso. Com o apoio de muitas pessoas e empresas, vamos salvar mais vidas”, declara a diretora executiva do Hospital Pequeno Príncipe, Ety Cristina Forte Carneiro.

A nova unidade do Pequeno Príncipe, que está em fase final de obras, recebeu a visita do Rei Pelé, no dia 19 de agosto. Na ocasião, autoridades estaduais e municipais, além de pacientes da instituição, conheceram as futuras instalações do Laboratório Genômico e do Biobanco.

Laboratório Genômico
O Laboratório Genômico é uma importante estrutura que contribui para uma melhor precisão no diagnóstico precoce e diferenciado, bem como para o prognóstico e tratamento do câncer infantojuvenil. Proporciona, ainda, mais segurança à decisão terapêutica e ao tratamento personalizado e assertivo. A previsão é de que sejam realizados, em dois anos, cerca de 3 mil procedimentos.

Os recursos para a estruturação da unidade foram provenientes do Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (PRONON) 2014/Ministério da Saúde, de doadores de renúncia fiscal e de eventos realizados pelo Pequeno Príncipe.

Para o diretor corporativo do Complexo, José Álvaro da Silva Carneiro, o Laboratório coloca a instituição em um novo patamar tecnológico. “Com esta unidade seremos capazes de alcançar diagnósticos complexos e proporcionar atendimento adequado a crianças que estão sofrendo”, explica.

Biobanco
O Biobanco – o primeiro do Paraná e o 31º do Brasil – é responsável pela coleta, armazenamento e gerenciamento de amostras de diversos materiais biológicos humanos, como tecidos, sangue, RNA e DNA. A estrutura tem capacidade de armazenamento de até 230 mil amostras e permite o intercâmbio de conhecimento científico com uma rede nacional e internacional de biobancos, além da ampliação da capacidade de realização de pesquisas.

A unidade foi instalada com base no Biobanco do St. Jude Children’s Research Hospital, localizado na cidade de Memphis, no estado do Tennessee, nos Estados Unidos. O financiamento de parte da estrutura recebeu aportes do National Cancer Institute (NCI), vinculado ao St. Jude, e de eventos do Gala Pequeno Príncipe.

O prédio que abriga o Biobanco e o Laboratório Genômico contou com recursos de um projeto social da Rumo/Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).