Projeto 150 Mil Chances de Vida beneficia crianças de cinco Estados brasileiros

Duas gotas de sangue podem salvar vidas. Esse é o material necessário para que os pesquisadores do Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe façam testes de DNA. Por meio desses exames em crianças recém-nascidas é possível identificar uma mutação genética ligada à predisposição em desenvolver um câncer pediátrico, o tumor de córtex adrenal (TCA). O teste também é capaz de identificar imunodeficiências primárias (IDPs). O diagnóstico precoce dessas doenças, a partir de testes genéticos, salva vidas, pois descobrir as enfermidades em seu estágio inicial eleva a chance de tratamentos adequados e cura.

As análises genéticas fazem parte do projeto 150 Mil Chances de Vida, realizado pelo Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe com apoio do Hospital Pequeno Príncipe. A partir de uma grande mobilização nacional, o projeto foi levado a cinco estados brasileiros: Paraná, Acre, Rondônia, São Paulo e Santa Catarina, possibilitando a realização de mais de 128,5 mil testes genéticos.

“Além de oportunizar chances reais de cura para as crianças, esse projeto fornece dados à comunidade médica e científica sobre a incidência dessas doenças. Isso permite avanços na condução, entendimento e do tratamento e possibilita também a discussão e a intervenção em políticas públicas regionais e nacional”, explica a diretora executiva do Pequeno Príncipe, Ety Cristina Forte Carneiro.

Veja os principais números do projeto:

Tabela: Exames previstos, realizados e resultados.

Tabela: Unidades envolvidas e número de profissionais capacitados.